Música + Informação

Abril Pro Rock 2017

Punknet | 05/05/2017 | Comentários desativados em Abril Pro Rock 2017 | Matérias, Uncategorized

Olá queridxs! Sai aqui da minha cidade (Fortaleza) com destino a Recife para passar o fim de semana com feriado, e claro, aproveitar e curtir o Festival Abril Pro Rock. O evento que chegou a sua vigésima quinta edição contou com bandas nacionais e internacionais de grande prestígio pelo público. Caravanas de várias partes do Nordeste compareceram ao festival e lotaram o Classic Hall que fica em Olinda. Vou contar algumas impressões pois tive observando tudo.

 

1º dia – Sexta – 28 de abril 2017

 

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Assim que cheguei fiquei bem impressionada com o número de banquinhas, com materiais desde vestuário, acessórios, bolsas, zines, cd’s, vinis, patch’s, artesanato etc. Havia também barracas de comida e bebidas espalhadas pelo local que agradavam a todos os gostos (inclusive comida vegana!).

 

Pontualmente começou o show do Diablo Angel, banda que mescla fuzz e rock ‘n’ roll bem dançante e empolgante, dando o start no festival. A troca de bandas foi muito rápida, tamanha era a organização do evento. Logo na sequência começou a Serrapilhadeira e foi uma das bandas mais alternativas, esse ano teve um line up mais voltado para o rock pesado. Seguindo com os shows, foi a vez do Saga HC, que agitou a galera que ali estava até os mais tímidos vieram somar junto. Em seguida subiu o Camarones Orquestra Guitarrística de Natal – Rn fazendo um show bem animado.

 

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Seguiu então a parte internacional do line up da noite de sexta-feira, com o Tiger Army, banda dos Estados Unidos que faz um psichobilly mesclado com punk rock, 21 anos de carreira e essa foi a primeira vez do grupo no Brasil, foi um show bem divertido no APR.

 

Também dos EUA, subiu ao palco Suicidal Tendencies com o Dave Lombardo na bateria, talvez uma das bandas mais aguardadas da noite. Eles fizeram um show insano que puxou todas as vozes ali presentes com repertório de músicas clássicas como “War Inside My Head”,  “Possessed to Skate”,  “Mosh Pit”, “You Can’t Bring me Down” dentre outras. Uma coisa curiosa que ocorreu nesse show foi que num dado momento, Mike Muir (Ou CycoMike como gosta de ser chamado), chamou mulheres para subir e ali permaneceram por duas músicas agitando muito em cima do palco.

 

IMG_2645

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Para finalizar a noite com chave de ouro, uma banda lendária que emocionou a todos os presentes, o Death, power trio negro dos EUA.  Tiveram uma presença de palco incrível e tocaram os clássicos do seu álbum For The Whole World To See. Eles deixaram todos impressionados com o vigor dos caras, que mesmo depois de 46 anos de banda, apesar da grande pausa antes de recomeçaram, mostraram boa forma.

 

 

2º dia – Sábado – 29 de abril de 2017

 
Assim que eu cheguei tinha um stand da Pitú com um jogo que consistia em mixar um drink numa coqueteleira que ia na cabeça. Acoplava num capacete cheio de rebite bem estiloso, uma moça colocava um som no fone de ouvido e a pessoa tinha que bater cabeça pra misturar a bebida. Ideia genial!

 
Imprevistos acontecem e infelizmente houve o cancelamento das bandas Angelcorpse (EUA) e Suicidal Angels (Grécia) que tocariam sábado, mas a organização do show agilizou mais duas bandas para compor o segundo dia de APR.

 

 

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Começando os trabalhos e aquecendo o público a banda Evocati nos mostrou seu Heavy Metal e animou o público que já era grande logo na primeira hora de festival. Seguindo a programação, One Army Way, banda com integrantes de São Paulo e Pernambuco agitou muito seguindo a mesma linha Do primeiro grupo e tocou seus melhores sons no estilo Heavy/Trash.

 

Voodoopriest nos impressionou com seu thrash/death metal com letras muito fortes e que falam de resistência, e resistência indígena, destacando Mandu que foi uma música que mais agitou a galera e fiquei bem feliz de ver que haviam índios no show prestigiando essa banda, nos convidando a saber mais sobre nossas raízes. John Wayne, metalcore de SP, from favela como eles mesmo falam, agitaram muito o festival com bastante energia e peso.

 

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Nesse momento estava quase impossível circular no espaço com tantas pessoas e a noite só estava começando! Logo depois entrou a banda Nervosa e o circle pit era imenso, o show delas estava incrível e aqueceu o ambiente. Mystifier da Bahia trouxe ainda mais peso para a noite do metal do APR, tocando black metal. Em atividade desde 1989 não fizeram feio, ao contrário, lembrou-nos a importância de permanecer no metal nacional underground, ainda pouco valorizado.

 

IMG_2648

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Entrou no palco então o Cockney Rejects, banda de streetpunk/Oi formada em 1979, os pioneiros desse estilo. Tocaram clássicos como “Im not a Fool” “East End” “On th Streets Again” e “Oi! Oi! Oi!”. Logo depois foi a vez do Matanza, já bem conhecido nacionalmente com 21 anos de estrada mesclando country e hardcore, tocaram várias músicas conhecidas agradando aos fãs que foram vê-los.

 

IMG_2649

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Krisiun passou pela quarta vez no evento e manteve todo o público do metal atento para o seu brutal death metal cheio de técnica e peso. Nocturnal da Alemanha está em tour pelo Brasil e marcou presença no evento trazendo um som Black/Thash metal e fez a galera curtir bastante.

 

Para encerrar a noite, o thrash metal de Brasília, Violator fechou o evento de forma colossal e com um som empolgante como sempre fazem. Variaram bem o repertório e deixaram todos anestesiados com tanta energia.

 

 

IMG_2650

Fotos: Pei fon – Rock Meeting

Foi um evento bastante organizado, que procurou agradar todos os gostos e estilos e estou aguardando ansiosa a próxima edição.
O evento contou com atividades que iam além dos shows como a 6º Mostra Poster Arte Design e ocupou o Centro Cultural dos Correios no bairro do Recife, a 8º edição das Oficinas de Formação e o APR Club, e um esquenta do APR25 com apresentações gratuitas na Galeria Café Apolo 17.
A realização do evento foi feita por meio da Astronave Iniciativas com patrocínio da Pitú, Petrobraz, Copergás, associado ao Festivais Brasileiros Associados e apoio Stampa, juntamente com a Prefeitura de Recife e Governo do Estado.

 

 

Texto: Priscilla Silva

Fotos: Pei Fon– Rock Meeting

 

Comments

comments