Música + Informação

CJ Ramone no Hangar 110 / São Paulo

Punknet | 19/11/2017 | Comentários desativados em CJ Ramone no Hangar 110 / São Paulo | Matérias

Na última quarta-feira (15/11), CJ Ramone se despediu de uma das maiores casas do underground paulista, o Hangar 110. Feriadão de sol e nada mais perfeito do que acabar o dia vendo um Ramone no palco. Essa foi a quarta vez que prestigiei CJ e já adianto que é sempre um prazer. Ouvi comentários do tipo “Mas ele não era da formação original.”, “CJ de novo. O que pode ter de bom todo ano?” e por aí vai. Bom, posso me manifestar com propriedade já que nunca perco a oportunidade de ir aos shows do tio CJ, digo a todos: Sempre é bacana, pois além do trabalho solo do cara ser muito legal, ele nos faz lembrar porque somos punk e amamos a melhor banda punk do planeta. Entoar Hey Ho Let´s Go, R.A.M.O.N.E.S e muito mais é uma experiência maravilhosa.

 

Foto: Marcos Sousa Rodrigues

Foto: Marcos Sousa Rodrigues

A noite começou com Dillinger no palco; eles tiveram a função de entreter os ansiosos pelo Ramone da noite, e cumpriram bem o determinado. O show ficou mais animado com os convidados Gabriel e Erika (Autoramas) e ainda o papito Supla e Duda (Tequila Baby), que subiram ao palco com desenvoltura, clima de entrosamento e tocaram músicas da banda e covers do Clash, Beatles e Raimundos. Galera animada.

 

Depois foi a vez de Jiro Okabe como o segundo anfitrião. Não é a primeira vez que Jiro se apresenta em Sampa com algum Ramone. Quem frequenta esses shows já conhece bem Jiro pela simpatia e carisma muito mais que pelo talento, mas sempre animando a noite com músicas próprias e covers dos Ramones. Jiro sabe fazer uma festa e sempre desce do palco para cumprimentar fãs, que hoje são amigos, e dar uma circulada na galera. É sempre recebido com abraços, fotos e saudades.

 

Foto: Marcos Sousa Rodrigues

Foto: Marcos Sousa Rodrigues

A hora esperada chegou quando os roadies do tio CJ começaram a preparar o palco e aquele clima de ansiedade pairava no ar. De ínicio uma reclamação, talvez a única do show: CJ mudou os guitarristas de costume e isso fez falta em nossos corações, já que a festa sempre foi completa quando os ADOLESCENTS Steve Soto e Dan Root estavam presentes. Steve e Dan, por favor voltem com ADOLESCENTS em 2018, estamos com saudades. Mas os novos garotos mandaram bem, estavam animados e não seria justo eu reclamar de suas performances, pois fizeram um ótimo trabalho. O show começou com “Durango 95”, do álbum Too Tough To Die, fazendo o público começar a pogação sem cerimônia. Seguiu com “Let`s Dance” e “Let´s Go”, bombardeio para subir a adrenalina de qualquer fã dos caras. Pete Sosa marcou bem a batera, CJ com voz e marcação de baixo de primeira, Nate Sander e Joshua Blackway mandando super bem nas guitarras. O show seguiu com moshes da galera, coros efusivos da plateia, caretas fofas do tio CJ e muita música boa. O repertório ainda contou com “Psycho Therapy”, “Chinese Rocks”, Rock `n` roll high school”, “The KKK took my baby away”, “3 Angels” (CJ), “California Sun” e terminou o show com uma sequência de bis matadora, que finalizou com R.A.M.O.N.E.S gritado em alto e bom som. CJ se despediu com seu sempre melhor conselho: RAMONES FOREVER. CJ, você é o cara. Nós te amamos.

 

 

 

 

 

Texto: Renata Py

Fotos: Marcos Sousa Rodrigues

 

Comments

comments